O que é o programa Mercado de Carbono? Envie esse conteúdo para o email de um amigo Exibe a versão de impressão da página Retorna para a página anterior

O programa mercado de carbono tem como objetivos:
 
- propiciar às cooperativas a redução das emissões de Gases Efeito Estufa (GEE) e de resíduos da produção agropecuária e agroindustrial. Isso contribui para a mitigação de seus passivos ambientais, das mudanças climáticas do laneta, e garante a sustentabilidade dos recursos renováveis;
- prospectar novas oportunidades de mercado para as cooperativas; e
- promover o desenvolvimento das cooperativas e das comunidades onde estão inseridas, permitindo o acesso do pequeno produtor a todos os benefícios gerados pelas novas práticas de atuação.

As linhas de ação utilizadas pela OCB e pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop) são:

- capacitar técnicos das unidades estaduais do Sescoop e da OCB na prospecção de oportunidades de negócio do mercado de carbono e de cooperativas potenciais para a implementação de projetos de Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL);
- realizar trabalhos em oficinas regionais para o desenvolvimento inicial de projetos de MDL de cooperativas e disseminar informações estratégicas do mercado de carbono;
- prospectar novas oportunidades de mercado para as cooperativas, renda adicional aos associados e desenvolvimento de diferenciais competitivos; e
- reunir parcerias em Aliança Estratégica (AE) para facilitar a execução de processos e o acesso a recursos materiais, humanos, tecnológicos e financeiros necessários para a implementação do projeto-piloto. Esta aliança possui, ainda, a atribuição de desenvolver políticas públicas de incentivo ao desenvolvimento de projetos de MDL em cooperativas de pequenos produtores. Entidades que integram a AE: MDA, MAPA, MMA, MCT, BB, EPAGRI, EMBRAPA FLORESTAS, FAO, IICA e ITAIPU.


Os resultados esperados para o programa são:

- projeto-piloto para ter como linha de base de redução de GEE um modelo;
- obtenção de informações estratégicas para que o modelo seja replicado em outras cooperativas;
- minimização de passivos ambientais das cooperativas transformando-os em ativos econômicos;
- reforço do posicionamento de responsabilidade social das cooperativas e promover o equilíbrio sócio-econômico-social das comunidades;
- geração de diferenciais competitivos aos produtos e serviços das cooperativas, resultantes do investimento em MDL;
- ampliação da participação do Brasil no mercado de carbono; e
- contribuição para a mitigação da mudança do clima global.

Para saber mais, acesse o INTERCÂMBIO DE INFORMAÇÕES (LINK)

Clique aqui para saber mais sobre o mercado de carbono (LINK para o texto abaixo)


 
Tecnologia  WebAdvisor